14 de nov de 2010

Cachorrinha é queimada viva em Palhoça/SC

" Se soubesse o que faríamos com os animais, Noé não teria todo aquele trabalhão com a Arca."

A crueldade aconteceu na Barra do Aririú, Palhoça, na grande Florianópolis, no último dia 2 de novembro.  Vítima de vândalos ainda não identificados, a cachorrinha vira-latas era conhecida e querida na região e atendia por Pedra, nome que recebeu por ter escapado de dois atropelamentos. Pedra recebia água e alimento da menina Izabel que a tratava desde que a ninhada foi abandonada na rua , da qual Pedra foi a única sobrevivente.


Os moradores da região desconfiam que o crime tenha sido cometido por garotos que estavam  por perto  do cãozinho pouco antes do acontecido.

Chocada com o estado do animal que teve 85% do corpo queimado, a  médica veterinária Daniele Ody Spaniol desabafou:
“Ela está com a pele em carne viva em 85% do corpo. O rosto, o focinho, os olhos, está tudo desfigurado. Sem contar que a vulva dela está com ferimentos horríveis. Não dá para acreditar que alguém seja capaz de tanta crueldade. Talvez a tenham amarrado e queimado, introduzido alguma coisa no corpo. Nunca, na vida, tratei de um animal assim”. Em seguida disse: "Meu Deus! Me ajuda!
Daniele  ainda comentou que se Pedra sobrevivesse, ela iria adotá-la e  a chamaria de VIDA! Apesar  de todos os cuidados da médica, no dia seguinte Pedra  não resistindo a tantos ferimentos, morreu.


A comoção tomou conta da população do vilarejo e um grupo de defesa aos animais, a Sentiens e a ANDA enviaram carta às autoridades de Palhoça: Polícia Civil, Polícia Militar, Ministério Público e Secretaria Municipal de Meio Ambiente, com cópia para a imprensa. Quem desejar participar do protesto, pode usar a carta como modelo e enviar também:

Para:
drppalhoca@pc.sc.gov.br
dppalhoca@pc.sc.gov.br
palhoca04pj@mp.sc.gov.br
fcam@palhoca.sc.gov.br

C.C.:
diariodoleitor@diario.com.br
bandfloripa@tvbv.com.br
cbndiario@rbsradios.com.br
tvcapital@floripa.com.br

Exmos. Promotor de Justiça de Palhoça, autoridades da Policia Civil e Militar e Secretário Municipal de Meio Ambiente

Vimos expressar nosso repúdio e indignação pelo ocorrido na Barra da Aririú, onde um cão foi barbaramente agredido, queimado vivo.

Solicitamos providências imediatas para que o caso seja devidamente investigado e esclarecido, e para que os criminosos sejam rigorosamente punidos. Ressaltamos que, segundo a reportagem do Diário Catarinense, já há suspeitos a serem inqueridos.

Inaceitável qualquer expressão de violência, mas em especial a perpetrada contra seres extremamente sensíveis e vulneráveis como os animais. A perversidade de se atear fogo a um animal choca até mesmo o mais experiente defensor dos animais, familiarizado com todos os tipos de violência que os vitimam cotidianamente.

Aguardamos providências.


SENTIENS - http://www.sentiens.net/index.php

Nenhum comentário: