6 de jul de 2012

Meu filho não foi passear diz o pai do empresário desaparecido

 "MEU FILHO NÃO FOI PASSEAR! Afirma o pai do empresário  Demival Vasques, que está desaparecido, durante coletiva à imprensa. 

Débora Vasques, a irmã, garante que esta foi a primeira vez que Vasques Filho sumiu desta forma. 
"Talvez ele não tenha aguentado a pressão do trabalho e resolveu dar um tempo de tudo. Ele vinha reclamando de cansaço e estresse. Ele foi só com a roupa do corpo, uma mochila e o notebook. Todos os documentos dele estão no apartamento." 

Depois da Polícia Civil de São José do Rio Preto (SP) divulgar informações de que Demival Vasques Filho, 29 anos, desaparecido desde o último sábado, estaria hospedado em uma pousada em Foz do Iguaçu, a família decidiu realizar uma coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira, para se pronunciar.



Pai e irmã de Vasques Filho ao lado do delegado durante a coletiva
Foto: Laís Machado/Especial para o Terra


Mesmo que a polícia tenha certeza de que ele está vivo e ter descartado todas as possibilidades de crimes, a família ainda está angustiada, já que não recebeu nenhum tipo de contato do empresário. "Meu filho está vivo, mas alguém pode me dizer onde ele está? No sábado, fui para a minha propriedade rural feliz porque estava tudo bem, depois veio a notícia de que ele não tinha voltado para casa. Talvez ele esteja com algum problema psicológico, é um menino muito inteligente, se cobra muito do que faz, ele tem cinco atividades," relata o pai do empresário, Demival Vasques.

Débora Vasques, a irmã, garante que esta foi a primeira vez que Vasques Filho sumiu desta forma. "Talvez ele não tenha aguentado a pressão do trabalho e resolveu dar um tempo de tudo. Ele vinha reclamando de cansaço e estresse. Ele foi só com a roupa do corpo, uma mochila e o notebook. Todos os documentos dele estão no apartamento."
Carta escrita pelo próprio punho e lida durante a coletiva pelo pai do empresário, o médico Demival Vasques:
" Em primeiro lugar quero imensamente agradecer a todos os que nos deram força, nos apoiaram, rezaram, compartilharam do nosso sofrimento, do nosso desespero. Eu tenho uma dívida de gratidão com todos, muito obrigado. Estou muito feliz por meu filho estar vivo. Passei esses dias pensando o contrário. Quero agradecer também o empenho das polícias civil e militar. Meu filho está vivo. Mas alguém pode responder onde ele está agora?
Meu filho não foi passear. Isso foi o pronunciamento superficial e talvez confortador de quem também se empenhou para encontrá-lo, o senhor delegado. Alguém de vocês iria passear só com a roupa do corpo, sem avisar, deixando para trás a família que ele tanto adora, e que tanto adora ele?
Ele adora a família. Seria incapaz de fazer isso por um motivo banal. Quem o conhece sabe disso. Alguém iria passear deixando para trás compromissos importantes e que lhe causariam compensações financeiras?
Alguém iria passear sem comunicar a um amigo sequer, e ele tem muitos bons amigos. Isso é passeio?
Eu não sei os motivos que levaram o meu filho a tomar essa atitude. Mas tenho certeza que não foi para passear. Alguns problemas que não quis compartilhar, alguma coisa muito séria. Alguém sabe onde está meu filho, agora? Eu não sei.
Minha esposa está com a vela acesa do lado da cama orando por ele, e peço a todos que rezaram e sofreram junto com a gente, que continuem a orar para o meu filho, que isso não foi em vão. Meu filho não está passeando.
Muito obrigado a todos.

"A última informação que a Polícia Civil apurou é de que o empresário deixou a pousada nesta quarta-feira por volta do meio-dia, depois disso não se obteve mais nenhuma novidade. O proprietário da pousada, que não teve o nome divulgado, fez contato com a família após acessar a reportagem divulgada na segunda-feira, no Terra, noticiando o desaparecimento de Vasques Filho. Ele comunicou que o empresário se hospedou lá do dia 1° ao dia 3 de julho.

O delegado acredita na possibilidade de que ele possa saber, por meio da imprensa e das mídias sociais, que a família está preocupada e aguardando notícias. "Talvez ele ainda não tenha feito nenhum contato porque deve estar com vergonha e ao mesmo tempo com medo."

A noiva de Vasques Filho pediu demissão do trabalho ontem e vai ficar com sua família em São Paulo até que tudo se esclareça. O pai do empresário garante que ela está sofrendo tanto quanto a família e que também não recebeu nenhum contato do noivo.

O veículo do desaparecido está bloqueado e, caso cruze novamente alguma fiscalização, a Polícia Civil de São José do Rio Preto será acionada. O celular não pode ser rastreado, pois está desligado desde o último sábado e o perfil dele em uma rede social está bloqueado para não receber mensagens. "Provavelmente ele fez tudo premeditado porque não queria contato com ninguém," encerra o delegado.

Fonte: Portal Terra




Nenhum comentário: