22 de jul de 2013

Papa Francisco chega ao Brasil em sua primeira viagem internacional.

Papa Francisco no Brasil


O Papa que defende “uma Igreja pobre para os pobres” e uma Igreja aberta, que sai à rua em vez de ficar fechada nos seus palácios, explicou que o sentido da sua viagem ao Brasil, onde participará na Jornada Mundial da Juventude, “é encorajar os jovens a viverem inseridos no tecido social com as pessoas mais velhas, não isolados da vida”.
“Quando isolamos os jovens cometemos uma injustiça. Não devemos isolá-los da sociedade. Eles são o futuro”, disse Francisco aos jornalistas que o acompanharam na sua primeira viagem ao estrangeiro.
A primeira entrevista foi dada de improviso, ainda no avião, aos 70 enviados que o acompanharam no voo.

O Papa Francisco chegou ao Brasil às 15h43 desta segunda-feira (22). O avião Airbus A330 da Alitalia, que saiu do Aeroporto de Fiumicino, próximo a Roma, às 8h55 no horário local (3h55 em Brasília), pousou no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro.

Papa Francisco é recepcionado por Dilma Roussef
O papa Francisco foi recepcionado pela Sra. Presidente Dilma Roussef e várias autoridades. Depois a comissão se dirigiu à Catedral Metropolitana, onde chegaram às 17 horas. Durante o trajeto a multidão que aguardava sua passagem, cercou por várias vezes o veículo. Alguns fiéis conseguiram apertar a mão dele . Na Catedral, ele embarcou no papamóvel e segue em direção ao Teatro Municipal.

Já no papamóvel aberto, ele acena para a multidão durante o trajeto de 1 quilômetro até o Teatro Municipal e chegou a beijar crianças de colo que chegaram bem perto do veículo.

Do Teatro Municipal, o papa embarca em carro fechado até o 3º Comando Aéreo Regional, de onde segue de helicóptero para o Palácio Guanabara, sede do governo estadual, onde será recebido por autoridades. Além da presidenta Dilma Rousseff, do vice-presidente Michel Temer, do governador Sérgio Cabral, estarão na solenidade mais oito governadores e 650 convidados.


Missão - Jornada da Juventude
Ele vem ao Brasil para presidir a Jornada da Juventude. O evento começa nesta terça-feira (23) e vai até domingo.

Segundo o porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, Francisco destacou a necessidade de resgatar a dignidade dos jovens e disse que o isolamento deles é uma injustiça.

"Os jovens pertencem a uma família, a uma pátria, a uma cultura, a uma fé. Eles têm uma riqueza que constitui o futuro de um povo. O futuro é também dos idosos, pois eles são os depositários da sabedoria da vida, da história, da pátria e da família. Um povo tem futuro se caminha com a força dos jovens e dos idosos", ressaltou o papa.

Em seguida, Francisco fez uma reflexão sobre a crise econômica mundial e o fato de os jovens não encontrarem trabalho. "Corremos o risco de ter uma geração que não teve trabalho. É do trabalho que vem a dignidade da pessoa, do ganha-pão cotidiano."

O santo padre falou também sobre a cultura da indiferença, que se reflete no isolamento dos idosos, e destacou a necessidade de promover a cultura da inclusão e do encontro. O pontífice pediu a ajuda dos jornalistas e que eles trabalhem para o bem da sociedade, dos jovens e dos idosos.

A Jornada Mundial da Juventude começa na terça-feira, quando são esperados 800 mil turistas, e termina no próximo domingo, depois de uma semana de atividades religiosas. O ápice do evento deve ser a encenação da Via Sacra, na orla de Copacabana, na sexta-feira, e a missa de encerramento do evento em Guaratiba, no domingo. São esperadas mais de 1,5 milhão de pessoas nos eventos com o papa. A agenda do pontífice no país inclui ainda visita a comunidade pobre no Rio e ao Santuário Nacional de Nossa Senhora de Aparecida, em São Paulo.


-------------------------



Nenhum comentário: