5 de jan de 2011

MISTÉRIO -

MILHARES DE AVES E PEIXES MORREM SEM EXPLICAÇÃO EM ARKANSAS E LOUSIANIA

 - Um mistério está chamado a atenção de cientistas e até de ufólogos devido à estranhos acontecimentos ocorridos na última semana, em Arkansas, onde testemunhas afirmam que havia algo estranho no céu, provocando uma espécie de pânico nas aves, que começaram a se bater contra casas, árvores, umas contra as outras em pleno vôo, como se algo invisível as tivesse atingido. Equipes da Saúde Pública local, examinaram as aves mortas e constataram que é como se elas tivessem batido com força em algo ou levassem uma pancada na cabeça.

No mesmo dia, milhares de peixes também apareceram mortos sem nenhuma explicação.

Dois dias depois, a 500 km dali, outras 500 aves apareceram mortas em uma região de Pointe Coupee, Lousiania, causando espanto nos especialistas que estudam o fato. As aves foram enviadas para serem analisadas no Centro Nacional de Saúde da Vida Selvagem em Madison, no Wisconsin, e na Universidade de Geórgia.

Os cientistas ainda estudam as possiibilidades das mortes em massa e a teoria levantada pelo diretor de Ambiente, Greg Butcher, a causa  pode ter sido uma espécie de perturbação ou desorientação das aves. Segundo ele, "as mortes em massa de aves podem ser causadas por fome, tempestades, doenças, pesticidas, colisões com estruturas feitas pelo ser humano ou perturbação humana".

Os estranhos acontecimentos estão chamando a atenção das comunidades de ufologia e os teóricos em conspiração, principalmente porque muitas testemunhas afirmam que havia algo invisível no céu. Alguns acham que poderia ser algum tipo de experiência em tecnologia da invisibilidade do governo, outros vão adiante dizendo que seria um OVNI camuflado ou então restos químicos na atmosfera.

Como não existem respostas, cada um está livre para fazer a sua própria suposição e alimentar a teoria de possíveis conspirações. A única certeza que temos, é que muitas coisas estranhas estão acontendo pelo mundo afora, para as quais nem a ciência ainda tem respostas.




Nenhum comentário: