6 de jul de 2012

Meu filho não foi passear diz o pai do empresário desaparecido

 "MEU FILHO NÃO FOI PASSEAR! Afirma o pai do empresário  Demival Vasques, que está desaparecido, durante coletiva à imprensa. 

Débora Vasques, a irmã, garante que esta foi a primeira vez que Vasques Filho sumiu desta forma. 
"Talvez ele não tenha aguentado a pressão do trabalho e resolveu dar um tempo de tudo. Ele vinha reclamando de cansaço e estresse. Ele foi só com a roupa do corpo, uma mochila e o notebook. Todos os documentos dele estão no apartamento." 

Depois da Polícia Civil de São José do Rio Preto (SP) divulgar informações de que Demival Vasques Filho, 29 anos, desaparecido desde o último sábado, estaria hospedado em uma pousada em Foz do Iguaçu, a família decidiu realizar uma coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira, para se pronunciar.



Pai e irmã de Vasques Filho ao lado do delegado durante a coletiva
Foto: Laís Machado/Especial para o Terra


Mesmo que a polícia tenha certeza de que ele está vivo e ter descartado todas as possibilidades de crimes, a família ainda está angustiada, já que não recebeu nenhum tipo de contato do empresário. "Meu filho está vivo, mas alguém pode me dizer onde ele está? No sábado, fui para a minha propriedade rural feliz porque estava tudo bem, depois veio a notícia de que ele não tinha voltado para casa. Talvez ele esteja com algum problema psicológico, é um menino muito inteligente, se cobra muito do que faz, ele tem cinco atividades," relata o pai do empresário, Demival Vasques.

Débora Vasques, a irmã, garante que esta foi a primeira vez que Vasques Filho sumiu desta forma. "Talvez ele não tenha aguentado a pressão do trabalho e resolveu dar um tempo de tudo. Ele vinha reclamando de cansaço e estresse. Ele foi só com a roupa do corpo, uma mochila e o notebook. Todos os documentos dele estão no apartamento."
Carta escrita pelo próprio punho e lida durante a coletiva pelo pai do empresário, o médico Demival Vasques:
" Em primeiro lugar quero imensamente agradecer a todos os que nos deram força, nos apoiaram, rezaram, compartilharam do nosso sofrimento, do nosso desespero. Eu tenho uma dívida de gratidão com todos, muito obrigado. Estou muito feliz por meu filho estar vivo. Passei esses dias pensando o contrário. Quero agradecer também o empenho das polícias civil e militar. Meu filho está vivo. Mas alguém pode responder onde ele está agora?
Meu filho não foi passear. Isso foi o pronunciamento superficial e talvez confortador de quem também se empenhou para encontrá-lo, o senhor delegado. Alguém de vocês iria passear só com a roupa do corpo, sem avisar, deixando para trás a família que ele tanto adora, e que tanto adora ele?
Ele adora a família. Seria incapaz de fazer isso por um motivo banal. Quem o conhece sabe disso. Alguém iria passear deixando para trás compromissos importantes e que lhe causariam compensações financeiras?
Alguém iria passear sem comunicar a um amigo sequer, e ele tem muitos bons amigos. Isso é passeio?
Eu não sei os motivos que levaram o meu filho a tomar essa atitude. Mas tenho certeza que não foi para passear. Alguns problemas que não quis compartilhar, alguma coisa muito séria. Alguém sabe onde está meu filho, agora? Eu não sei.
Minha esposa está com a vela acesa do lado da cama orando por ele, e peço a todos que rezaram e sofreram junto com a gente, que continuem a orar para o meu filho, que isso não foi em vão. Meu filho não está passeando.
Muito obrigado a todos.

"A última informação que a Polícia Civil apurou é de que o empresário deixou a pousada nesta quarta-feira por volta do meio-dia, depois disso não se obteve mais nenhuma novidade. O proprietário da pousada, que não teve o nome divulgado, fez contato com a família após acessar a reportagem divulgada na segunda-feira, no Terra, noticiando o desaparecimento de Vasques Filho. Ele comunicou que o empresário se hospedou lá do dia 1° ao dia 3 de julho.

O delegado acredita na possibilidade de que ele possa saber, por meio da imprensa e das mídias sociais, que a família está preocupada e aguardando notícias. "Talvez ele ainda não tenha feito nenhum contato porque deve estar com vergonha e ao mesmo tempo com medo."

A noiva de Vasques Filho pediu demissão do trabalho ontem e vai ficar com sua família em São Paulo até que tudo se esclareça. O pai do empresário garante que ela está sofrendo tanto quanto a família e que também não recebeu nenhum contato do noivo.

O veículo do desaparecido está bloqueado e, caso cruze novamente alguma fiscalização, a Polícia Civil de São José do Rio Preto será acionada. O celular não pode ser rastreado, pois está desligado desde o último sábado e o perfil dele em uma rede social está bloqueado para não receber mensagens. "Provavelmente ele fez tudo premeditado porque não queria contato com ninguém," encerra o delegado.

Fonte: Portal Terra




2 de jul de 2012

Continua perseguição aos sequestradores de Pedro Paulo Lemes

DIVULGADO RETRATO FALADO  DOS SUSPEITOS PELO SEQUESTRO

As denúncias devem ser feitas pelo 190, no telefone (99) 3525-1545, da Delegacia Regional de Imperatriz, ou pelo Disque-Denúncia, por meio do número 0300-313-5800.

Suspeitos pelo sequestro do menino Pedro Paulo Lemes

Família oferece 10 mil reais de recompensa por informação precisas.
A Polícia Civil, por meio da Superintendência de Polícia do Interior divulgou ontem (30) o retrato falado dos dois suspeitos de sequestrar um menino de cinco anos de dentro de sua própria residência, em Imperatriz. As imagens foram feitas com base nos depoimentos de testemunhas, que teriam visto os dois homens, e da babá, que estaria com eles até ser liberada logo depois do sequestro, na ponte Dom Afonso Felipe Gregory, naquela cidade.

Pelos retratos falados, um dos homens tem cerca de 1,70m de altura e aproximadamente 35 anos, com pele morena, olhos negros e cavanhaque. Duas versões foram feitas para o outro sequestrador, uma com boné e outra sem. Este também teria pele morena e olhos negros, aparentando ser mais baixo e mais novo, com aproximadamente 1,68m de altura, 23 anos e aparelho ortodôntico com borrachas vermelhas nos dentes.

A operação de busca envolve as polícias civil e militar, além do Grupo Tático Aéreo (GTA) dos Estados do Maranhão e do Tocantins. A família da criança acompanha as investigações e já fizeram um apelo para que as pessoas ajudem a encontrá-la.
Pedro Paulo Lemes - sequestrado

Denuncie – Pedro Paulo Lemes foi levado de dentro de sua casa na manhã de quarta-feira (27) por dois   homens armados. A família está oferecendo uma recompensa de R$ 10 mil para quem souber informações precisas do paradeiro da criança. As denúncias devem ser feitas pelo 190, no telefone (99) 3525-1545, da Delegacia Regional de Imperatriz, ou pelo Disque-Denúncia, por meio do número 0300-313-5800.

Desaparecimento de Guma Aguiar pode ser farsa

Guma Aguiar, o milionário brasileiro desaparecido nos Estados Unidos desde 20 de junho
Guma Aguiar - multimilionário brasileiro desaparecido
MAIS POLÊMICA NO CASO AGUIAR - 


Desaparecido desde o dia 20 de junho, na Flórida, o multimilionário brasileiro Guma Aguiar agora é alvo de novas suposições. Segundo o advogado de sua esposa, Aguiar pode ter forjado um desaparecimento para se livrar de vários problemas pessoais que vinha enfrentando.

"Ele pode ter cometido suicídio, ter caído do barco e se afogado ou pode ter encenado isso", disse o advogado Bill Scherer na entrevista. "Jamie, a esposa,  acredita que ele tenha entrado no barco em depressão e pulado ou esteja em algum lugar lutando pela vida"


Logo após o desaparecimento, quando as buscas ainda não haviam encerrado,  Ellen, a mãe de Aguiar, entrou com uma petição para assumir os bens do filho. A esposa fez o mesmo. Em seguida, Ellen propôs que uma empresa especializada , a Northern Trust, ficasse provisoriamente encarregada da administração da riqueza de Aguiar. A esposa foi contra mas a justiça da Flórida apoiou a mãe.


Aguiar, 35 nos e sua esposa tem quatro  filhos, o menor com 10 meses e estavam passando por problemas conjugais. Segundo alguns comentários, extra oficiais, a esposa teria pedido o divórcio na véspera do desaparecimento. 


Em maio ele havia determinado que sua mulher fosse a guardiã de sua fortuna mas depois mudou de opinião e indicou sua mãe. No tribunal, Ellen apresentou um documento no qual Guma escreveu: "Eu revogo todos os poderes que concedi para a minha mulher, Jamie Aguiar, para agir em meu nome. Inclusive, eu me oponho à indicação de Jamie Aguiar de servir como guardiã de minha pessoa ou de minhas propriedades. No presente, eu e minha mulher estamos em conflito de interesse". 

O desaparecimento de Aguiar está envolto em mistério. Naquela noite de 20 de junho, estavam previstos fortes temporais na costa da Flórida, mesmo assim, Guma Aguiar decidiu sair com seu barco de 31 pés.  A lancha foi encontrada no dia seguinte, intacta, ainda com o motor ligado em uma  praia de Fort Lauderdale, mas  sem vestígios  de  Aguiar.

Guma fez fortuna investindo no setor energético e em um clube de futebol em Israel. Ele é nascido no Brasil e de origem judaica.


Fonte: UOL Notícias