15 de set de 2012

Mãe localiza filho desaparecido há 22 anos pelo twitter



"Eu nem acreditei quando achamos. Meu Deus, quase tive um ataque do coração", brinca Meri.


Meri Terezinha Gomes de 46 anos, conta que, quando se separou do marido, ele seguiu para Rondônia levando junto o filho de quatro anos. Prometeu que mandaria notícias, mas isso, segundo a mãe, nunca aconteceu.

Meri perdeu contato com o marido e durante muitos anos tentou localizar seu filho Jackson  através de programas  de TV , rádios e sites na internet, mas sem sucesso.

Jackson Gomes perfil twitter
Seu outro filho mais velho, vendo a angústia da mãe, começou a pesquisar pelo nome do Jackson na internet, procurando nas redes sociais, até que um dia,   cruzando informações do nome dele e dos pais  no Twitter, conseguiu encontrar o irmão.





"Eu fazia de tudo para tentar encontrar o Jackson. Meu filho mais velho foi mexendo e encontrou uma lista com todos os brasileiros que tinham o mesmo nome dele. Depois de muito procurar, ele foi cruzando os nomes de pai e mãe. Daí caiu direto no perfil do Twitter do Jackson", disse Meri.
"Foi emocionante. Eu não me dei conta do tempo, mas acho que ficamos pelo menos umas três horas no telefone. Ele me contou que soube que eu era a mãe dele quando ele tinha 17 anos. Disse que depois disso, também começou a me procurar", relatou a mãe.

Jackson, que hoje tem 26 anos, trabalha como porteiro numa escola na cidade de Colniza (MS) e conta que também procurava pela mãe na internet. Só ficou sabendo dela quando tinha 17 anos e então começou a procurá-la nas redes sociais.
 "Quando eu descobri sobre a minha mãe fiquei louco de vontade de conhecê-la. Eu fiz de tudo para procurá-la. Além do Twitter, fiz também perfil no Facebook, no Orkut e todos os sites de relacionamento que eu achei que poderiam me ajudar. Tudo graças à internet. Se não fosse isso, acho que eu não conseguiria encontrá-la nunca mais".
Por enquanto os dois só se falaram pelo telefone. Eles querem se ver, se abraçar mas  ainda não tem condições financeiras para isso.
 "Eu estou me virando aqui. Tô tentando trabalhar dobrado para ver se eu consigo comprar logo a passagem para ir até o encontro dela".
----------oooOooo----------

Muitos são os casos que  já foram solucionados com o uso da rede internet, que hoje é uma grande aliada para quem busca um parente desaparecido.

Cito dois casos que foram marcantes:

Em maio de 2012,  a socióloga Fátima Abou Mahmaoud,  postou no Facebook a foto  do irmão deficiente Omar Abou Mahamoud (28) com  um pedido de ajuda. A imagem se espalhou. Teve 10 mil compartilhamentos. O rapaz sumiu no dia 7 e foi encontrado no dia 13, Dia das Mães, graças à pista passada por um internauta.

Ela  recebeu uma  informação passada por um rapaz de Guarulhos, na Grande São Paulo, que havia visto o post dela e foi conferir.

“Ele contou que viu meu irmão entrando em um ônibus na Estação Armênia com destino a Arujá, na Grande São Paulo. Fiz o mesmo trajeto, falei com motoristas e cobradores. No ponto final, soube que assistentes sociais o haviam levado a um hospital”. O rapaz estava sem documentos e os médicos já queriam transferi-lo para uma clínica psiquiátrica.


Em outubro de 2011, Renan Fogaça, foi encontrado após a sua irmã Karina Fogaça postar uma foto da vítima na rede social Facebook, com a seguinte mensagem:

 “PESSOAL MEU IRMÃO Renan Fogaça foi sequestrado ontem as 21:15 da noite até agora nenhuma noticia, ele estava no carro dele FIESTA HATCH vermelho PLACA DMC 8477, favor verificar com amigos e compartilhar no FACEBOOK pra vê se conseguimos localizar ele...”

Após a divulgação a família foi avisada pelo Hospital Estadual de Diadema, que viu a foto na rede social. Renan estava internado em estado crítico na UTI. Infelizmente ele  não resistiu.


Dica: Colabore, divulgue fotos de desaparecidos em seu perfil  da rede, seja Orkut, Twitter ou Facebook. Você pode estar salvando uma vida, mas tome cuidado, verifique a origem, confirme se é confiável e se a pessoa ainda está de fato desaparecida. Isso pode ser feito ligando para o número indicado, consultando a polícia ou a pessoa responsável pelo post.

www.desaparecidosdobrasil.org

Brasileiro é condenado por tráfico humano em Nova Jersey


Na úlltima quinta-feira (13), o brasileiro Nacip Teotônio Pires, 48 anos, residente em Newark (NJ) foi condenado no Tribunal Federal de Camden a 3 anos e 8 meses de prisão por tráfico humano.

Ele foi acusado de liderar uma quadrilha que traficou centenas de imigrantes ilegais do Brasil, India e outros lugares do mundo aos EUA, a maioria mulheres jovens que depois eram obrigadas a  trabalharem, sob ameaças, como stripers, dançarinas exóticas e a se prostituirem em Newark  e outras cidades para pagarem suas dívidas de viagem com a gang.

image
Claudinei P Mota também confessou o crime
Pires foi um dos seis réus acusados e assumiu a culpa em relação ao tráfico de seres humanos. Outros quatro  já confessaram a participação no esquema:  Claudinei Pereira Mota, de 35 anos, residente em Newark (NJ), Francismar da Conceição, conhecido como “Alex”, 37 anos, morador em Hillside (NJ) e Rubens da Silva, conhecido como “Diogo Oliveira”, de 40 anos, residente em Haverhill (MA).  Ainda há uma fugitiva, também suspeita, Priscilla, conhecida como Celma Aparecida Lopes, residente em Long Branch (NJ). Outro suspeito é Sanderlei Alves da Cruz, conhecido por Kauan ou Beicinho, de 33 anos, residente em Houston (TX), que foi acusado  e está sendo investigado.

A gang organizou uma rede que traficava pessoas do Brasil e outras partes do mundo, entre janeiro de 2008 e junho de 2011. Eles cobravam entre 13 e 25 mil dólares de seus 'clientes'  para atravessarem a fronteira. Uma vez la, as vítimas sofriam ameaças envolvendo familiares e obrigadas a assinarem papéis transferindo propriedades ou levadas para trabalhos em casas noturnas.
“Os traficantes de seres humanos ganham muito dinheiro explorando sonhos e tratando as pessoas como simples carga. Rotas de tráfico estão espalhadas pelo mundo, com facilitadores e clientes unindo-se para cometerem crimes. Nosso trabalho é proteger as fronteiras e as vítimas vulneráveis dessa prática que se alastra”, disse o promotor público Fishman.
“Essa investigação revelou o contínuo desrespeito à vida humana por aqueles que tiram vantagem de outros visando lucro”, comentou Peter T. Edge, agente especial do Departamento de Imigração (ICE) em Newark (NJ). “Aqueles que se envolverem em tais práticas serão responsabilizados”.

O Governo está sendo representado pelo promotor público federal André M. Espinosa, da Unidade de Combate ao Crime Organizado em Newark.

www.desaparecidosdobrasil.org 

11 de set de 2012

RBS na campanha pelas pessoas desaparecidas


Este é mais um resultado  positivo do trabalho realizado por 
DESAPARECIDOS DO BRASIL


Fotos de pessoas desaparecidas mostradas no quadro especial do Jornal do Almoço em Florianópolis/SC
Foto internet/divulgação
Uma das motivações para a criação do quadro Desaparecidos foi a série de reportagens especiais Órfaos do Brasil, que o  Diário Catarinense publicou a partir  de um pedido feito por Desaparecidos do Brasil 
à jornalista Mônica Foltran, do DC, Grupo RBS.  Com o sucesso do especial veiculado a nível nacional, a RBS TV  decidiu estender a divulgação em torno dos desaparecidos como oferta de prestação de serviço para a comunidade, um dos objetivos primordiais para a equipe de jornalismo da RBS TV.


Sob o comando da apresentadora Karem Fabiani , irá ao ar  no Largo da Alfândega, centro da Capital Catarinense, todas as terças feiras, um programa ao vivo onde serão entrevistadas pessoas que queiram divulgar a foto de seus entes queridos desaparecidos.

Agradecemos à  equipe do Jornal do Almoço e responsáveis por esse serviço de utilidade pública que vem  renovar a esperança dessas famílias que já não sabem mais onde procurar seus entes queridos.  Também é fundamental  destacar o esforço dos amigos e companheiros de luta, Gerson  e Major Marcus Claudino que tem um trabalho brilhante voltado para as causa dos desaparecidos em Santa Catarina.

Para participar, os telespectadores podem acessar a página VC no G1 e registrar a história do desaparecimento com fotos e mensagens. Outra alternativa é encaminhar o caso diretamente para equipe do JA, no e-mail participeja.sc@rbstv.com.br. Todos os detalhes e imagens enviadas à produção do Jornal do Almoço terão espaço no G1 Santa Catarina, que disponibilizará também informações para contato com as famílias.



I.Amanda Boldeke
Setembro/2012
www.desaparecidosdobrasil.org

Thalia Poliana gestante 15 anos continua desaparecida

Jovem de 15 anos, gestante, desaparecida em Julho de 2012

Desaparecida em:12/07/2012
Nascimento: 15/07/1997
Altura: 1,60m
Cor dos Olhos: Castanhos
Cor dos Cabelos: Castanhos

Histórico:
Thalia Poliana Szepanhuk residia com a mãe em Florianópolis – SC, na Praia de Canasvieiras e está desaparecida desde 12/07/2012.
No dia 11/07/2012, o pai (que reside no Rio de Janeiro) recebeu uma ligação da filha, à noite, onde ela o informava que no dia seguinte viria ao Rio de Janeiro passar as férias, porém não apareceu.


Caso registrado no Conselho Tutelar de Canasvieiras-Florianópolis/SC -
Fone (48) 3266-0243

Qualquer informação que leve ao paradeiro de Thalia, ligue para o

Disque-Denúncia (21)2253-1177. O anonimato é garantido.

Thalia Poliana Szepanhuk - Desaparecidos Do Brasil


Continuam as buscas pela adolescente Amanda Correia


Atualização: 10/09/2012 - Completa um mês o desaparecimento de Amanda Correia.

Reprodução TV Vitória
Amanda Correia desaparecida em Castelo ES


Amanda Correia, 16 anos,  desaparecida em 11/08/2012, na cidade de Castelo, ES.

DISK DENÚNCIA - 181  ou polícia Militar - 190



A polícia continua com os trabalhos de busca, mas o desencontro de informações, inclusive trotes, atrapalham a investigação, como explicou o titular da delegacia.

"Por ser uma cidade pequena, os moradores daqui e também da região ligam e passam informações, mas alguns ainda passam trotes que mudam momentaneamente a trajetória das apurações. Para se ter uma ideia, 15 pessoas já ligaram e disseram que a menina teria sido encontrada morta. Obviamente isso não procede, e nos atrapalha. Apesar disso, continuamos a todo vapor e estamos empenhados", disse o chefe da Delegacia de Castelo, Robson Vieira, que definiu o caso  como sendo um dos mais difíceis em que já trabalhou.

No último dia 4 de setembro, o caso de Amanda Correia foi  destaque no encerramento da novela global, "Amor Eterno Amor"  . A divulgação renovou as esperanças da família.

 "É sempre bom quando aparece ajuda e agora todo o país está ciente do desaparecimento dela. Esperamos que isso nos auxilie ou que ao menos traga alguma informação concreta, pois está sendo muito difícil para eles [os pais] e também para toda a família", desabafouJerusa Eugênio da Silva, tia da garota desaparecida.

Protesto pelo desaparecimento de Daniela Ferreira



Em Agudo, município da região central do RS, durante o desfile cívico-militar do dia 7 de setembro  houve um protesto silencioso pela jovem Daniela Ferreira de19 anos, desaparecida há mais de um mês naquela cidade. Familiares e amigos desfilaram com faixas e camisetas e protestaram pela demora das autoridades em desvendar o sumiço da jovem.


“Queremos mais agilidade da polícia”, afirmou o cunhado da vítima, Guilherme Franco, de 24 anos.Ele salientou que até agora não saiu o resultado da perícia feita na roupa do suspeito que poderá definir se o DNA encontrado é realmente o de Daniela.


Daniela Ferreira, de 19 anos, está desaparecida desde o dia 29 de julho de 2012, em Agudo, RS.


DISQUE DENÚNCIA: 181
(55) 3265-1113



HISTÓRICO:

Daniela Ferreira foi vista pela última vez por volta das 6h do domingo (29) ao deixar um baile no centro da cidade, sozinha, vestindo casaco vermelho, calça jeans clara e botas marrom. A jovem, que estudava e trabalhava como babá, levava consigo uma sacola e ia, a pé, em direção da casa da mãe, a cerca de 2,5 quilômetros da festa.

As imagens das câmeras de vigilância de um estabelecimento comercial registraram o momento em que a jovem caminhava pela Avenida Concórdia, no Centro da cidade. Um suspeito foi identificado por meio das imagens. Ele aparece seguindo no mesmo trajeto da estudante.

O homem foi identificado como um detento do regime semiaberto, que cumpria pena no presídio local. Naquele final de semana, o apenado tinha recebido dispensa para visitar familiares na Região Metropolitana. Procurado pela polícia, ele se recusou a falar sobre o caso. A polícia encaminhou roupas e uma faca encontrados com ele para análise no Instituto Geral de Perícias. Os laudos ainda não foram recebidos pela DP local.

O desaparecimento chocou os moradores de Agudo, que auxiliaram nas buscas pela jovem. Durante 10 dias, a polícia e o Corpo de Bombeiros procuraram por Daniela em diversos pontos do município, mas nada foi encontrado



Daniela Ferreira desaparecida em Agudo RS