20 de out de 2012

Disparado ALERTA NACIONAL pelo desaparecimento de Camila Graziele

LAMENTAVELMENTE ENCONTRADA SEM VIDA

http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2012/11/adolescente-matou-crianca-de-5-anos-e-foi-namorar-diz-policia-civil.html

---------------------------------------------------------------------------------


Fotos de Camila Graziele Santos foram mandadas pela internet para as principais rodoviárias, aeroportos, portos e estações ferroviárias do Brasil inclusive para outros países.

NOTA: Parabenizamos a polícia de Minas Gerais que faz valer a lei que manda avisar portos, aeroportos, rodoviárias e estações ferroviárias em casos de desaparecimento de uma criança.

O desaparecimento de Camila está sendo visto como sequestro e pode estar relacionado com tráfico de crianças.


A assessoria de imprensa da Polícia Civil, a Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida de Minas Gerais emitiu um alerta para todos os aeroportos e portos internacionais do país para que a criança seja identificada em qualquer tentativa de embarque.



Uma equipe da Delegacia Especializada em Desaparecimento de Pessoas, de Belo Horizonte (MG), chegou na manhã deste sábado (20) em Bom Sucesso. Eles foram até a cidade para ajudar nas investigações. Ainda conforme o delegado que investiga o caso, a polícia já avançou nas investigações, mas por enquanto nada pode ser divulgado.




  Nazareno (MG)

Ainda de acordo com a delegada da Divisão de Pessoas Desaparecidas de Belo Horizonte, Cristina Coelli, 
sido avistada, nesta sexta (19), em Nazareno e posteriormente a caminho de São João Del Rei. O município fica entre Bom Sucesso e São João Del Rei (MG).

Uma mulher de 25 anos, usuária de drogas e com passagem pela polícia é a única suspeita no momento e foi detida. Ela está grávida e já teria dado ou vendido outros cinco filhos. Segundo informações, ela chegou a engolir um maço de dinheiro ao ser presa.

Pais de Camila Graziele desaparecida
Pais de Camila Foto net.

FACEBOOK
Familiares e amigos  já espalharam cartazes de Camila por todos os locais do bairro e também na internet é grande a campanha pela  localização da criança.

O DESAPARECIMENTO

Camila Graziele Santos Vitoriano foi vista pela última vez em frente a sua casa, no bairro Palmeiras, por volta de 12h30 de terça-feira (16). Assim que Camila chegou da escola, ela foi até a casa de um vizinho, que fica a poucos metros de onde ela mora com os pais, porque queria brincar com um colega. Algum tempo depois, a mãe foi chamar a filha para fazer o dever de escola, mas não encontrou a menina.

Além de Camila, outras seis crianças desapareceram recentemente em cidades do interior de Minas Gerais.
-------------------------------------------------

http://www.desaparecidosdobrasil.org/criancas-desaparecidas






19 de out de 2012

Justiça demorou 20 anos para reconhecer o inventor da Bina


TRIBUNAL DE BRASILIA RECONHECE: O PAI DA BINA (Identificador de chamadas)  É  BRASILEIRO - 

Enquanto ele lutava na justiça para ver reconhecido o seu direito, as operadoras faturavam milhões em cima do seu invento.

 (Edilson Rodrigues/CB/D.A Press)
Nélio Nicolai, 72 anos Inventor do BINA
"Lutei praticamente sozinho. Não foram poucas as pessoas, que, nesse período, diante da indiferença dos sucessivos governos brasileiros e das ameaças que recebi, me aconselharam a desistir". Fui até mesmo ridicularizado por advogados, autoridades e jornalistas. Mas jamais perdi de vista esse direito, que não é só meu, mas do povo brasileiro, privado dos royalties milionários que os meus inventos proporcionam às multinacionais que o usam sem pagar"

Em entrevista ao Estadão, o Sr. Hélio explica que foi ignorado pelo Ministério da Justiça. "Em 2003, recorri ao Ministério da Justiça e o Conselho Anti-Pirataria mas nunca fui recebido. E gostaria que alguém me explicasse, por que nós, portadores de patentes brasileiras, somos tratados assim. Em todas as vezes que tentei, fui apenas orientado verbalmente a procurar o Poder Judiciário, enquanto as empresas estrangeiras, que têm toda uma estrutura de defesa de seus alegados direitos, não."


Nélio Nicolai registrou a Bina, popularmente conhecido como Identificador de Chamadas, em 07 de julho de 1992 no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), além de ser reconhecido internacionalmente com o Certificado e a Medalha de Ouro da Organização Mundial de Propriedade Intelectual. Também são suas invenções o Salto (sistema que indica a existência de chamadas em espera), o Bina-lo (responsável por registrar as chamadas perdidas) e o sistema de Mensagens Instantâneas Financeiras para Celular, todas devidamente patenteadas.


No Brasil, a justiça levou 20 anos para reconhecer  os Direitos de Patente da invenção do eletrotécnico Nélio Nicolai.  De acordo com decisão da 2ª Vara Cível de Brasília, ele terá que receber 25% do valor cobrado pelo serviço de reconhecimento de chamadas nas empresas que o adotam. A primeira companhia julgada pelo caso foi a operadora Vivo, que terá que repassar parte do seu lucro com o serviço para Nicolai.

A decisão pode abrir caminho para desfechos similares em outras ações movidas pelo inventor. Se vencer a maioria delas, Nicolai pode se tornar, mesmo que tardiamente, um multibilionário.


18 de out de 2012

Polícia encontra corpo de jornalista desaparecido em Curitiba


Atualização- 18/10/2012
Polícia encontra corpo de jornalista desaparecido em Curitiba
Foi encontrado nesta quinta-feira (18) em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, de acordo com a Polícia Civil. O jornalista foi morto a facadas. Leia mais....
_______________________________


Há suspeita de perseguição política no desaparecimento do jornalista em Curitiba.

PASSEATA - CADÊ ANDERSON LEANDRO?

A família de Anderson e o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná vão organizar uma passeata, no Centro de Curitiba, nesta quinta-feira (18), para pedir agilidade nas investigações. O grupo vai se reunir, a partir das 11h, na Praça Tiradentes e deve seguir até a Boca Maldita.

Na manifestação, que recebe o nome de “Cadê Anderson Leandro”, parentes de outras pessoas desaparecidas também devem comparecer.
Inf. Sinditest

O jornalista está desaparecido desde a última quarta-feira (10) quando seguiu para Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, para realizar uma matéria para sua produtora a Quem TV, e não foi mais visto a partir de então.


Ele vestia camisa azul e calça jeans, calçava sapatênis marrom e dirigia uma Renault Kangoo, placa AON 8615.

Qualquer informação pode ser repassada para a Polícia pelos telefones (41) 3815-3000 ou 190


MOTIVAÇÃO POLÍTICA

Uma intensa mobilização por parte da família do jornalista, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor-PR) e de militantes e entidades do movimento social aponta que o sumiço pode ter motivações políticas.


Regina Cruz, presidente da CUT-PR quer esclarecimento rápido sobre o desaparecimento do jornalista em Curitiba.


O Sindicato dos Jornalistas do estado emitiu, nesta segunda-feira (15), uma nota oficial denunciando a crescente perseguição política aos jornalistas e blogueiros no estado e cobrando atitudes do poder público.

SUSPEITAS
Em recente carta, a família do jornalista pede maior ação por parte do poder público, pois há suspeita de perseguição política. Também o professor de comunicação social, Valdir José Cruz, foi ameaçado por exigir informações sobre o caso, o que aponta contornos maiores ao caso do que um simples sumiço.

Informações enviadas pela família (15/09/2012):
Depois de quatro dias de buscas intensas, amigos e familiares do jornalista Anderson Leandro enviaram correspondências por meio de seus advogados e de entidades dos movimentos populares de Curitiba ao governador do Estado, Beto Richa, e ao Procurador-Geral do Ministério Público do Paraná, Doutor Gilberto Gyacoia, pedindo que o caso seja considerado pelas autoridades policiais como sequestro por motivação política. Também solicitaram que o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco – e a unidade especial Tigre, grupo de elite da Polícia Civil, assumam as investigações e confiram o caráter político ao sumiço dele. Anderson Leandro atua há aproximadamente 20 anos no movimento popular e, por isso mesmo, é detentor do maior acervo de imagens políticas e de cenas de conflitos relacionados às pressões dos movimentos sociais do Paraná.

A Delegacia de Vigilância e Capturas (DVC) da Polícia Civil adota a linha de investigação pautada em crime passional e a família de Anderson Leandro tem receio de que se repita no caso dele a demora e a consequente perda de pistas que aconteceram em outros episódios similares, como o do sumiço do engenheiro Renato Brandão, há mais de um ano.

 As buscas iniciais começaram por volta das 2h madrugada do dia (11/10/2012) por meio do fone 190, sendo que, na manhã deste mesmo dia formalizou-se o desaparecimento com o registro da ocorrência na Delegacia da Vigilância e Capturas de Curitiba. Após isso, na madrugada de quinta para sexta-feira (12), a família entrou com pedido de liminar junto ao Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça, para que fosse quebrado o sigilo telefônico do celular e dos telefones fixos (residencial e comercial) do jornalista.

A Justiça acolheu o pedido de quebra do sigilo telefônico ao meio-dia de sexta-feira, em pleno feriado. A DVC recebeu o relatório com o número das chamadas registradas no aparelho, mas a família não tem acesso ao conteúdo desse documento. Os investigadores informaram apenas que foi detectado sinal do aparelho às 12h55 do dia do desaparecimento na região de Campina Grande do Sul. Também foram identificados sinais do celular de Anderson Leandro nas regiões do Parolin e nas imediações do Detran. Depois dessa quebra de sigilo, a família não obteve mais nenhuma informação a respeito das buscas da polícia e mobilizou amigos e lideranças em esforços próprios.

O Sindijor-PR entende que o poder público deve intensificar as investigações com extrema urgência, já que se trata de um tema que atinge toda a sociedade.

NOTA DO SINDICATO


"“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná – Sindijor-PR, na condição de entidade de defesa dos valores materiais e morais da categoria, vem por meio desse documento solicitar atenção dos órgão responsáveis para um tema de grande relevância: o desaparecimento do jornalista Anderson Leandro da Silva, 38 anos, que trabalha na empresa Quem TV.
Anderson está desaparecido desde a última quarta-feira (10 de outubro de 2012), quando saiu da empresa de comunicação, por volta das 12h30, dirigindo o carro Kangoo (Renault), de cor branca, placa: AON 8615. Sua família registrou Boletim de Ocorrência (B.O: 2012/919767) na quinta-feira (11 de outubro) e ainda aguarda informações.
O Sindijor-PR entra em contato com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná com o objetivo de intensificar a busca pelo profissional. Jornalistas de todo Paraná estão mobilizados e exigem providências."


Quem tiver alguma informação deve entrar em contato com a Delegacia de Vigilância e Capturas, onde a família registrou o desaparecimento, pelo número (41) 3815-3000. A delegacia fica na Avenida Afonso Pena, número 974, no bairro Tarumã, em Curitiba.



Fontes: G1 Gazeta do Povo Correio do Brasil 

Idoso desaparecido é encontrado em Curitiba


"Passei fome  e frio" conta seu Lino.

Lino Moroso, de 66 anos, estava desaparecido desde a manhã da última sexta-feira (12), quando saiu de casa, no bairro Água Verde, em Curitiba, para dar uma volta. O homem sofre de Mal de Alzheimer e foi visto pela última vez próximo ao Cemitério do Água Verde.
Lino Moroso sofre de depressão
Ele ficou cinco dias perdido, perambulando pela cidade sem saber como voltar para casa. Foi encontrado na madrugada da quarta-feira (17), por um vizinho e estava bastante debilitado sem lembrar o que tinha acontecido.
"Ele chorou muito e nos contou que saiu de casa porque queria passear. Disse também que passou frio e fome e que chegou a dormir embaixo de um viaduto no Centro da cidade. Estamos aliviados. Foram vários dias de preocupação e sem dormir direito", conta o sobrinho.
 Aliviada, a família que havia criado uma página no Facebook na esperança de encontrá-lo, agora pode dormir em paz.


Fonte: G1 PR e Gazeta do Povo

16 de out de 2012

Procuro meu irmão

Fomos adotados por famílias diferentes. Meu nome era Rita de Cassia. Eu e meu irmão nascemos em Curitiba e consta que ele foi adotado por um engenheiro em Santa Catarina - anos 60

Rita de Cássia  - Fernanda Rocha Andrade
Minha história:

Olá, meu nome é Fernanda estou a muitos anos procurando de onde eu vim. Espero que alguém possa me dar esta alegria.Nasci em Curitiba em 27 de março de 1964, e estive na CASA MATERNAL DONA PAULA onde fui adotada em 1966 ou 1967 , todos chamavam de orfanato Tia Paula na época. Eu e meu irmão estávamos juntos.

A Tia Paula contou à minha mãe adotiva que minha mãe biológica tinha mais quatro filhos além de mim e meu irmão.

Meu pai adotivo me levou e deixou meu irmão lá,mesmo a Tia Paula sendo contra isso. Mas tem um problema , além disso ele trocou o meu nome que era Rita de Cassia para Fernanda e hoje tenho o registro de Fernanda Rocha de Andrade.

Isso se chamava de adoção ilegal na época, e eu fiquei sabendo disso na adolescência. O problema é que assim não consigo achar o sobrenome da minha família biológica e nem o paradeiro de meu irmão que dizem foi adotado por um engenheiro de uma família de Santa Catarina e foi levado para lá.

A minha intenção não é de discutir a forma de adoção ou se foi certo ou não. Eu preciso da ajuda de vcs para achar meu irmão. A Tia Paula conhecia meu pai e a história toda mas fiquei sabendo que ela faleceu a muito tempo.

Existem várias instituições vinculadas à Paula Pedroso do Amaral – “Tia Paula”. São elas : CASA MATERNAL DONA PAULA, Hospital e Maternidade Victor Ferreira do Amaral, ASSOCIAÇÃO FEMININA DE PROTEÇÃO À MATERNIDADE E A INFÂNCIA DE CURITIBA, Creche Anna Messias, Berçário Menino Jesus...

Por favor eu preciso achar meu passado.Tenho a cópia do registro de nascimento , o registro diz filha legitima e isso não é verdade. Só quero achar meu irmão. Se for possível meus pais e outros irmãos que dizem que tenho...

Espero ansiosa por respostas e que Deus ilumine e abençoe para que eu enfim, depois de tantos anos (hoje estou com 48) possa resgatar meu passado. Só quero esta alegria em minha vida.. Se alguém puder me ajudar com alguma informação agradeço de coração... Atenciosamente Fernanda... —

Facebook - https://www.facebook.com/ferandrade333

Ou contatos através deste site.
www.desaparecidosdobrasil.org/procuro-minha-familia/procuromeuirmao-eminhafamilia   

15 de out de 2012

Ministra suspeita de tráfico de pessoas na Bahia

POLÍCIA FEDERAL  DEVERÁ INVESTIGAR SUSPEITA DE TRÁFICO DE PESSOAS NA BAHIA.

Cinco crianças foram tiradas dos pais de forma violenta e entregues a famílias de São Paulo. 
A denúncia foi feita pelo Fantástico da Rede Globo e chegou ao Planalto, onde a Ministra Rosário da Secretaria dos Direitos Humanos disse que vai pedir à Polícia Federal que investigue o caso.
“Tudo indica que exista uma quadrilha atuando, traficando crianças, e lamentavelmente com algum apoio por dentro do próprio sistema de justiça”, declarou ela.

COMO ACONTECEU
De repente, a dona de casa Silvânia Mota da Silva, que mora na tranquila  cidade de Monte Santo, no sertão da Bahia, tem sua casa invadida e assiste desesperada  a polícia levar sua filhinha, uma menina de um ano e três meses. Ela é ameaçada, " se tentar impedir, vai presa" ! Depois, em uma segunda intervenção,  eles voltam e levam os outros quatro meninos. O mais velho ainda tentou fugir e disse, "'mãe, me esconda. Me esconda que eu não quero ir, não'” , mas foi apanhado em seguida e levado sob protesto da mãe.

Gerôncio, o pai dos meninos, estava na roça, trabalhando, e quando soube da violência foi até o Conselho Tutelar na cidade tentar trazê-los de volta, mas desesperado perdeu o auto controle e assustou as conselheiras que chamaram a polícia. Foi preso e ficou retido algum tempo até que os avós das crianças venderam seu único imóvel, e pagaram a fiança de 5000 reais para ele ser solto.

Isso aconteceu em junho do ano passado e desde então, o lavrador Gerôncio Brito de Souza e a dona de casa Silvânia Mota da Silva, pais das  crianças, tentam trazê-las de volta para casa, mas sem sucesso.

ADOÇÃO ILEGAL
Segundo o ECA - estatuto da Criança e do Adolescente,  a situação de pobreza de uma família não é motivo para retirar as crianças de seus lares.
“O Estatuto deixa claro que essas famílias não podem ser condenadas, nem ter seus filhos retirados sobre a justificativa da pobreza, declara Isabela Costa Pinto, advogada.
A decisão da Justiça se baseou em laudos sobre a situação da família elaborados pelo Conselho Tutelar e pelo Centro de Referência Especializada da Assistência Social (Creas), ambos de Monte Santo. Em vez de retirar as crianças, a Justiça e o Estado tinham que dar condições para que os pais vivessem com seus filhos, afirmou Edmundo Ribeiro coordenador do Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fórum DCA/Bahia) .


Os pais estão desesperados. Eles são pobres e com baixa escolaridade estão tendo que enfrentar juízes, advogados, o Estado. As famílias que adotaram as crianças são ricas e têm bons advogados, afirmou Ribeiro. O coordenador do Fórum disse que as crianças foram retiradas na ausência do pai, com apoio da polícia.

O coordenador executivo do Cedeca, Valdemar Oliveira, informou que os irmãos foram separados e divididos entre quatro famílias paulistas, dois estão em Campinas e os outros estão em Indaiatuba, cidade vizinha.  Eles foram divididos, e isso é irregular, fere a lei da adoção. Estamos tentando reverter o processo. Fizeram o pedido de liminar de guarda provisória sem que os pais fossem citados para se defender. Essa liminar foi legitimada pelo Ministério Público da Bahia, diz.

SUSPEITA DE TRÁFICO DE PESSOAS

Coordenadores do Cedeca e do Fórum suspeitam de uma mulher conhecida como Galega, que frequenta a cidade à procura de pais que queiram entregar seus filhos para a adoção. Ela estaria sempre acompanhada do marido, de nacionalidade alemã. Essa mulher teve contato com os pais dessas cinco crianças e eles recusaram. Mas desconfiamos que ela de alguma forma ajudou, disse Oliveira.

A mulher, identificada apenas como Carmen, é apontada como aliciadora e teria casa nas cidades baianas de Pojuca e Lauro de Freitas. Segundo relato da mãe das crianças, em maio de 2011, Carmen a teria procurado, perguntando se não queria encaminhar os filhos para a adoção, mas Silvânia recusou. Em seguida, a mulher teria feito uma denúncia no Conselho Tutelar.

Eu acho que esse caso pode ser a ponta de um iceberg. Ficamos sabendo que essa mulher já atua há alguns anos assim. Podemos estar diante de um grupo que promove adoção irregular, disse o coordenador do Cedeca.

ENVOLVIDOS 

Questionada sobre o laudo que facilitou a adoção, Ana Daria Pereira, uma das cinco integrantes do Conselho Tutelar, diz que só poderá falar sobre o caso com autorização da Justiça. Tudo o que foi feito está na promotoria, e a gente não pode adiantar nada sem ordem judicial. Nós não temos nada a esconder, disse.

A coordenadora do Creas de Monte Santo e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da cidade, Juliana Pinheiro, foi procurada pelos repórteres mas a informação é de que ela está de férias.

A assessoria do Ministério Público da Bahia informa também que, devido ao processo correr em segredo de Justiça, o promotor de Monte Santo, Carlos Augusto Machado de Brito, não comentará o caso.






Fonte: Montesanto.net - Uol - Fantástico