28 de nov de 2013

R$ 50 mil de recompensa por pistas da localização de Emily Ketlem Ferrari desaparecida há seis meses


Empresário oferece R$ 50 mil de recompensa por pistas que levem ao paradeiro de Emily


A oferta renova esperanças da família, mas a Polícia civil acredita que a atitude pode atrapalhar investigações.

De acordo com o advogado da família, Diogo Emanuel Domingos, o homem é morador da região e trabalha na área de agronegócio, mas não tem nenhuma relação com os parentes da menina. “Ele me procurou e disse que estava comovido por causa do tempo que já se passou sem nenhum sinal da Emily. Como ele sabe que a família não tem condições financeiras para isso, resolveu fazer a oferta esperando estimular alguém que tenha alguma informação e está com medo de falar”, conta.Nesta manhã, Diogo comunicou à Polícia Civil oficialmente sobre a promessa de recompensa, enviando um ofício para ser formalizado no inquérito. “Confiamos na competência da doutora que está á frente do caso, creio que ela já esteja seguindo algum caminho e nos trará novidades em breve”, acrescenta.

A Polícia Civil informou, ainda, que as investigações prosseguem, mas ainda não há novidades do caso para serem divulgadas. Qualquer informação que ajude neste ou outros casos de pessoas desaparecidas devem ser fornecidas a Polícia Civil pelos telefones 0800 2828 197 ou 181. O sigilo é garantido.

Todo o histórico do desaparecimento de Emily Ketlem Ferrari Campos pode ser visto no site:
Caso Emily - Últimas Notícias




Emilly Ketlen Ferrari




Fonte: TV Alterosa ------------------

Aproveite as megas promoções do Black Friday Brasil em segurança


BLACK FRIDAY é conhecido internacionalmente como o dia das megapromoções. Nesta sexta-feira, 29 de novembro, milhares de lojas virtuais ou não, estarão oferecendo descontos fantásticos.

Embora os consumidores ainda estejam com a péssima impressão causada em 2012, quando muitos comerciantes maquiaram seus descontos, culminando numa piada na rede social que intitulava  o dia como Black Fraude, este ano o Portal Busca Descontos que é o organizador do evento, promete que  não se repetirá o mesmo problema.  Para isso, vários cuidados foram tomados e espera-se  que este dia seja um grande sucesso de vendas, onde o consumidor poderá economizar até 80% em alguns produtos.

Este ano, 120 lojas virtuais se cadastraram como participantes do Black Friday. Entre as grandes redes varejistas,  estarão participando , Casas Bahia, Americanas, Ponto Frio, Walmart, Magazin Luiza, Extra, alem de empresas  de telefonia, informática, restaurantes, hotéis, etc.

 Lembre-se que o consumidor tem o direito de se arrepender em até sete dias após a entrega. É um direito garantido pelo artigo nº 49 do Código de Defesa do Consumidor, mas  é melhor previr do que passar dor de cabeça depois.
Veja a lista preparada pelo Procon com nomes de lojas que acumularam reclamações do consumidor.

Além da lista negra, a Serasa vai permitir que o consumidor pesquise o CNPJ das empresas "Mais importante do que pesquisar os preços é pesquisar a reputação da loja do seu interesse", diz Pedro Eugênio.

Veja abaixo, na imagem, algumas dicas que vão ajudá-lo a se proteger contra fraudadores.




Imagem Net/Créditos Editora de Arte A Tarde


Curiosidades: Black Friday ou sexta-feira negra, designa o dia em que grandes varejistas  fazem super  promoções dos seus  produtos, todos com os maiores descontos vistos no decorrer do ano. No Brasil, o evento ocorre desde 2010.

Tradicionalmente, o Black Friday acontece no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças, ou seja, na 4ª sexta-feira do mês de novembro. Como nesse ano o primeiro dia de novembro já caiu numa sexta-feira, a tradição prediz que o Thanksgiving Day (Dia de Ação de Graças) passa a ser comemorado não na 4ª, mas na 5ª semana do mês, e assim será com o Black Friday.

Portanto, a sexta-feira negra, nesse ano de 2013, será realizada no dia 29 de novembro.

A partir do primeiro minuto do dia 29, você poderá, através do site Busca Descontos, conferir as ofertas de aproximadamente 120 lojas online.

Família de Lukas Wesley da Silva não acredita na versão da polícia

ATUALIZAÇÃO: MATÉRIA HOJE NO BALANÇO GERAL DA RECORD, irá falar sobre o  desaparecimento de Lukas Wesley da Silva. 28/11/2013

___________________________________________________________________

ATUALIZAÇÃO - Um menor confessou o crime e encontra-se preso na Fundação Casa porém o corpo da criança nunca foi encontrado. A mãe contesta versão da polícia.

E-mail enviado, pela mãe do pequeno Lukas, às autoridades competentes:


De: Cintia da Silva Barbosa
Data: 30 de março de 2013
Assunto: : Reabertura do caso de Lukas Wesley Barbosa (3 anos). Criança desaparecida em 23/09/2012.
Para: seguranca@sp.gov.br, pessoasdesaparecidas@ssp.sp.gov.br
Cc: dh@mp.sp.gov.br, infancia@mp.sp.gov.br, ouvidoria@mp.sp.gov.br


Srs. Da Secretaria de Segurança Pública, representada pelo Sr. Fernando Grella Vieira e Ministério Público do Estado de São Paulo, representados pela secretaria de Direitos Humanos e Infância e Juventude, venho por meio desta fazer um apelo junto à Sociedade Brasileira sobre reabertura do caso do meu filho, Lukas Wesley Barbosa, 3 anos, desaparecido em 23/09/2012 na cidade de São Paulo.


Meu filho desapareceu na porta da casa no dia 23/09/2012. Testemunhas disseram ter visto ele pela última vez na companhia de um adolescente, no qual, depois foi feito um retrato falado amplamente divulgado na mídia. O adolescente foi reconhecido e apreendido. Quando apreendido, disse ter levado meu Lukas até a Praça da Sé, onde entregou-o a uma mulher.
Após esse relato, o adolescente mudou sua versão, dizendo ter abusado sexualmente e matado meu filho, e após isso jogou-o de cima da ponte de um córrego, no bairro Aricanduva, Zona Leste de São Paulo. O Corpo de Bombeiros na época fez buscas no córrego e nenhum corpo ou pistas sobre o meu filho foram encontradas. Na época inclusive foi divulgada que assim que o Corpo de Bombeiros tivessem informações precisas sobre o corpo, as buscas seriam retomadas imediatamente. Onde estão essas buscas?! Onde está meu filho?!
O delegado da divisão da Delegacia de Desaparecidos e Divisão Antissequestro, Sr. Joaquim Dias Alves, na época disse “ter fortes indícios da autoria e materialidade do crime”. Sr. Joaquim, materialidade de um crime é o quê, um corpo?! Onde estão as provas?!


O que eu, como mãe, cidadã brasileira pergunto há 6 meses é:


1. Como o Estado que tem o orgulho de ter um programa “São Paulo em Busca das Crianças e Adolescentes Desaparecidos”, lançado em 25/05/2012, pode tratar com tanta omissão e descaso o desaparecimento de uma criança de apenas 3 anos de idade? Como?!


2. Que ações foram feitas pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, representada pela Delegacia de Pessoas Desaparecidas, para dar uma resposta definitiva à minha família em relação ao meu filho?


3. Que ações foram feitas pela Secretaria de Segurança Pública em relação ao meu filho, obedecendo a lei federal do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)?! Lei essa que estabelece no Capítulo VII, “§2o A investigação do desaparecimento de crianças ou adolescentes será realizada imediatamente após notificação aos órgãos competentes, que deverão comunicar o fato aos portos, aeroportos, Polícia Rodoviária e companhias de transporte interestaduais e internacionais, fornecendo-lhes todos os dados necessários à identificação do desaparecido.”


4. Como um caso que teve uma considerável repercussão na mídia, não teve resposta efetiva sobre o encontro de um corpo ou mesmo direcionamento das investigações de que realmente meu filho foi entregue a uma pessoa na Praça da Sé? E em se tratando da entrega de uma criança na Pça. Da Sé, câmeras de vigilância foram analisadas? Como esse adolescente se dirigiu à Praça da Sé; onde estão os registros de bilhetes de ônibus?


5. Por que temos tantos casos de crianças e adolescentes desaparecidos (368 casos) registrados no site da Secretaria de Segurança Pública do Estado de SP, sem solução, sem direcionamento? Casos como Larissa Izabel Heymer (BO 1610/2011), Lucas Fuzaro Mori (BO 113/2011), Lucas Pereira (1751/2008), Hugo Ribeiro (desaparecido em 07/2007) dentre tantos outros?! E meu filho, onde está?!


6. Por que o BO do meu filho (Queixa 15826/2012, BO 5220/2012) ainda consta como criança desaparecida, sendo que a polícia diz “ter fortes indícios da autoria e materialidade do crime”. Ora Srs., insisto em perguntar; a materialidade de um crime é um corpo?! Onde está?!


7. A perícia na época verificou condições meteorológicas (tempo) para saber se no córrego realmente foi jogado uma criança e o mesmo foi arrastado pela água até desembocar em algum rio? Onde está o meu filho?!
Srs., eu preciso de respostas! Minha família precisa de respostas! É inconcebível que o Estado, representado pela Secretaria de Segurança Pública para o caso de desaparecimentos, não tenha respostas quanto ao caso do meu filho após 6 meses. O pior de tudo, o caso está praticamente arquivado!Não podemos conviver com o descaso e omissão do Estado! Se preciso for, vou até as últimas consequências para obter respostas sobre o meu filho!


Cíntia da Silva Barbosa, mãe de Lukas Wesley Barbosa (3 anos), desaparecido em 23/09/2012, na cidade de São Paulo-SP.


--------------------------------


Desaparecido desde 27 de setembro,  parentes e amigos fazem manifestação e dizem não acreditar na versão da polícia de que a criança está morta.


O adolescente suspeito de matar o menino Wesley Lucas da Silva muda versão de onde jogou o corpo.

Lucas Wesley da Silva desaparecido
A corporação do Corpo de Bombeiros informou que o acusado do crime, um adolescente de 14 anos, está mudando a versão sobre onde jogou o corpo da criança, o que dificulta os trabalhos, em vista disso foi decidido  a suspensão das buscas até que tiverem informações mais precisas sobre onde o adolescente teria jogado o corpo do pequeno Lucas Wesley da Silva, de três anos, desaparecido desde  27 de setembro.

Parentes e amigos da criança desaparecida bloqueiam via na zona leste em protesto

Uma protesto motivado pelo desaparecimento do garoto, bloqueou completamente o cruzamento das avenidas dos Nacionalistas e Aguiar da Beira, no bairro Aricanduva, zona leste de São Paulo, na noite da sexta-feira (12). Os manifestantes atearam fogo em pneus e fecharam a via.

Parentes e amigos dizem não acreditar na versão da polícia de que a criança está morta e exigem intensificação nas buscas.


Fonte: R7 Notícias.