27 de fev de 2011

Era dos Humanóides. Você está preparado?


 
Robonaut2


Quem ainda se lembra do simpático robô  de lata, com sentimentos humanos, que ficou famoso  na década dos anos 60  na série "Perdidos no Espaço", que alertava a família espacial quando estavam em eminente perigo,  gesticulando desesperadamente os braços enquanto  gritava "Perigo..!!Perigo...!!"? Como imaginar que a ficção se tornaria realidade num período tão curto de tempo?

 Naquela época falar de computadores e celulares era coisa de outro mundo, mas os avanços tecnológicos  que aconteceram desde então e que criaram braços e pernas artificiais  para as pessoas que perderam seus membros, também desenvolveu andróides e humanóides cada vez mais parecidos com os seres humanos, que estarão entre nós nas ruas, no trabalho e  em nossas casas muito brevemente.

Robonaut2, ou simplesmente R2,  entra na história como o primeiro humanóide enviado ao espaço com destino à Estação Espacial Internacional onde desenvolverá tarefas específicas. Ainda está em fases de testes e adaptação ao espaço, porém muito brevemente haverá uma legião deles realizando tarefas das mais diversas não só lá no espaço, mas também entre nós, fazendo parte de nosso dia-a-dia.  Esta semana ele já fez sucesso tuitando do espaço (#/AstroRobonaut) e deve mexer com o imaginário de quem assistiu "Uma Odisséia no Espaço" e o "Planeta Proibido". Obviamente, por enquanto, não é ele quem anda 'twittando' mas sim os engenheiros da NASA.

Robôs se encontram em toda a parte e muitas vezes nem os percebemos devido ao seu aspecto mais parecido com máquinas. No Brasil ainda não temos grandes experiências com andróides (robôs que se assemelham a humanos), ao contrário do Japão onde eles são bem comuns, como os Partner Robots da Toyota,  que tocam instrumentos musicais e possuem lábios 'quase' humanos que se movem com delicadeza. Recentemente eles estiveram em exibição tocando violino e trompete ao lado de violinistas e pianistas reais, mas o projeto da Toyota em médio prazo não é explorar seu talento musical, mas sim desenvolver  humanóides que possam diretamente ajudar os humanos na área da saúde,  em trabalhos hospitalares e em casa atendendo idosos. Outro teste realizado com os Partner Robot humanóides foi com sua agilidade, onde alcançaram velocidade de até sete quilômetros por hora.

A Honda não fica atrás no desenvolvimento da robótica. O ASIMO da Honda também está sendo desenvolvido para ajudar idosos e deficientes e outros avanços impressionantes são vistos no UX Personal Mobility Device3 e o Assist Bodyweight.

Não estranhe se num futuro não muito distante, quando você for concorrer a uma vaga de emprego e for preencher o seu currículo, se deparar com a  seguinte pergunta: HUMANO ou HUMANÓIDE? 

E então? Já está preparado para o futuro?